Revista do Vestibular da Uerj
Uerj DSEA SR-1
Rio de Janeiro, 23/09/2017
Ano 9, n. 25, 2016
ISSN 1984-1604

Inicial » Colunas » Qual é o perigo da história única?

Colunas

Qual é o perigo da história única?

Gustavo Bernardo

A pergunta acima é respondida, de maneira absolutamente brilhante, pela escritora nigeriana Chimamanda Adichie. Ela o fez a pedido do TED (Technology, Entertainment, Design), uma organização dedicada desde 1984 a promover conferências nas quais solicita a um convidado de renome que faça, em 18 minutos, “a melhor palestra da sua vida”.

Chimamanda atendeu ao lhe pediram e fez uma palestra na qual podemos colar uma série de adjetivos entusiasmados: bela, tocante, engraçada, inteligente, séria, fundamental. Sua fala equivale a um curso condensado, mas completo, de ética e estética. A escritora desenvolve todas as principais questões e todos os principais conceitos a respeito dos discursos sociais e da importância crucial da ficção, mas sem usar um termo empolado, sem usar um milímetro de jargão especializado, recorrendo tão somente à sua própria experiência de mulher, de negra, de africana e de artista. O espanhol José Ortega Y Gasset ensinava que “a clareza é a gentileza do filósofo”, lição que muitos acadêmicos não conseguem aprender. Eu ainda iria mais além, afirmando que a clareza é a obrigação de quem quer que escreva – o humor seria a verdadeira gentileza.

Pois Chimamanda fala e escreve com muita clareza e com muito humor, merecendo ser ouvida e lida por quem deseja receber palavras assim de presente. Por isso interrompo minha crônica extasiada aqui e passo a palavra à bela escritora: podem lê-la em inglês e podem (na verdade, devem!) assisti-la abaixo:

 

 

@2008-2017, Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Todos os direitos reservados